web-archive-pt.com » PT » 3 » 30ANOSLUSA.PT

Total: 337

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Geologia, o motor da evolução económica de Arouca - 30 Anos Lusa
    de semana contextualiza Com o geoparque houve um envolvimento geral da população e as unidades hoteleiras começaram a organizar se de outra forma mas realmente foram os passadiços que catapultaram o concelho para um outro nível reconhece José Artur Neves realça que essa evolução vem abrangendo todos os setores de atividade e sintetiza O potencial já tínhamos criámos foi organização e isto sem descurar a componente industrial que há 30 anos não existia no concelho e agora tem uma balança comercial equilibrada em que por cada euro importado exportamos três Na Castanheira ainda é a ruralidade que ressalta A paisagem é agora recortada por um radar meteorológico em cuja torre de 47 metros se inclui um mirante mas os hábitos da aldeia são os de sempre É por isso que Clarinda Tavares ainda se enerva ao lembrar turistas metediços que se põem a abrir a porta do curral e deixam as vitelas fugir O que essa afluência de forasteiros tem de positivo é que aproximou da aldeia jovens como David Fernandes que trabalha como guia intérprete na Casa das Pedras Parideiras e combina o expediente com os jeitos que faz à vizinhança ensinar uma bezerra novita a ir para o monte pastar ou apenas por tirar um café a um pastor que quer conversar ou precisa de quem lhe leia uma carta Enquanto isso Manuel Tavares anda sozinho pelos montes a controlar as suas vacas Tem 69 anos já combateu em Moçambique viveu em França e viu muito mundo mas em lado nenhum encontrou pedras como as por ali paridas Tem lhes apreço só que seletivo Em novo brincava com elas agora não lhes ligo assegura Mas dou lhes valor Vi o vídeo que está na Casa das Pedras e sei muito bem que elas são uma coisa com interesse Poderes mágicos para ajudar à gravidez Aí Manuel ri se com gosto Eu sou do mundo antigo e do moderno Sei que as coisas mudam e são como são Mas levar pedrinhas para casa fazer rezas e tal Deixe se disso Os bebés fazem se é à moda antiga Próximo Rio Maior Munícipios Alcobaça Requalificação da zona do Mosteiro continua polémica em Alcobaça dez anos depois Arouca Geologia o motor da evolução económica de Arouca Aveiro Eclusas viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos Barrancos Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos Barreiro Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas Braga Boom da construção em Braga retrata crescimento da Universidade Castanheira de Pêra Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera Castelo Branco Centro de Cultura Contemporânea o ícone de Castelo Branco Castelo de Paiva Tragédia de Entre os Rios chocou o país mas luto perdura em Castelo de Paiva Coimbra Património Mundial deu a Coimbra reconhecimento que nunca tinha tido Corvo Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio Covilhã Universidade contribui há 30 anos para desenvolver a Covilhã e a

    Original URL path: http://dev.30anoslusa.pt/geologia-o-motor-da-evolucao-economica-de-arouca/ (2016-04-25)
    Open archived version from archive


  • Eclusas, viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos - 30 Anos Lusa
    los explica Foram também os dinheiros da então Comunidade Económica Europeia que permitiram à cidade crescer para sul e nascente além de mudar a imagem A barreira física da Linha do Norte foi contornada por viadutos e passagens desniveladas dando lugar a novas urbanizações em Esgueira na Forca Vouga S Bernardo e Aradas A poente crescia a Universidade de Aveiro UA e assistia se ao desenvolvimento do próprio Campus de Santiago que por aqueles anos viu nascer o Pavilhão III o Centro Integrado de Formação de Professores e os novos edifícios para o Departamento de Eletrónica e Telecomunicações e para os Serviços de Ação Social A Universidade crescia mas não apenas fisicamente duplicou o número de cursos e mais do que quadruplicou o número de estudantes que no final da década ultrapassavam os 3 000 recorda o atual reitor Manuel Assunção O crescimento da UA acentuou se em todas as dimensões na década seguinte e é hoje uma universidade internacional baseada na investigação que congrega mais de 15 000 pessoas de quase 80 nacionalidades com mais de mil estágios por ano com um forte empenho na cooperação no espaço lusófono e que figura no ranking das Universidades com menos de 50 anos elaborado pelo Times Higher Education Próximo Rio Maior Munícipios Alcobaça Requalificação da zona do Mosteiro continua polémica em Alcobaça dez anos depois Arouca Geologia o motor da evolução económica de Arouca Aveiro Eclusas viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos Barrancos Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos Barreiro Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas Braga Boom da construção em Braga retrata crescimento da Universidade Castanheira de Pêra Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera Castelo Branco Centro de Cultura Contemporânea o ícone de Castelo Branco Castelo de Paiva Tragédia de Entre os Rios chocou o país mas luto perdura em Castelo de Paiva Coimbra Património Mundial deu a Coimbra reconhecimento que nunca tinha tido Corvo Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio Covilhã Universidade contribui há 30 anos para desenvolver a Covilhã e a região Figueira da Foz Santana Lopes recolocou a Figueira da Foz no mapa Golegã Veiga Maltez o médico que curou o concelho doente da Golegã Guimarães Recuperação do Centro Histórico marcou últimos 30 anos de Guimarães Lisboa A partir de Lisboa Portugal disse ao mundo que era capaz com a Expo98 Lousã Reabertura do Ramal da Lousã exigida nos 20 anos da Metro Mondego Mação Fustigado pelos fogos Mação cria soluções premiadas no estrangeiro Machico Machico onde o católico Jardim teve num padre a maior oposição Moura Central Solar de Amareleja trouxe empresas emprego e dinheiro a autarquias Nelas Canas quase se separou de Nelas e agora trabalha para se desenvolver Pinhel Fecho da fábrica de calçado agravou efeitos da interioridade em Pinhel Ponta Delgada Portas do Mar obra de luxo que transformou Ponta Delgada Porto Porto a afirmação cosmopolita com o

    Original URL path: http://dev.30anoslusa.pt/eclusas-viadutos-e-universidade-mudaram-aveiro-em-30-anos/ (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos - 30 Anos Lusa
    que tudo se resolvesse Na Praça da Liberdade de Barrancos onde anualmente é construída a praça de touros improvisada para as festas Jorge Sampaio defendeu uma solução jurídica capaz de conciliar a lei com a tradição da morte de touros na arena nas festas do concelho O Presidente é a favor da legalidade mas acreditando na autoridade democrática recomenda que tentemos preservar as tradições e perceber os povos mais distantes Há tradições que seria conveniente enquadrar legalmente de outra maneira disse Jorge Sampaio As declarações de Jorge Sampaio levaram os grupos parlamentares de então do CDS PP PSD e PCP a apresentarem um projeto conjunto que criou um regime de exceção para espetáculos com touros de morte em Barrancos e foi aprovado a 17 de julho de 2002 no Parlamento com 116 votos a favor 92 contra e nove abstenções Duvido que a questão se tivesse resolvido tão rapidamente se Jorge Sampaio não tivesse dito o que disse sublinha Nelson Berjano lembrando que a lei com o regime de exceção para Barrancos foi publicada em julho de 2002 e as touradas com touros de morte das festas em agosto daquele ano já decorreram legalmente Fizemos vingar e com que o respeitassem o nosso direito à diferença A consagração da tradição dos touros de morte na lei em 2002 foi uma luta do povo bem conseguida afirma António Tereno A 30 de agosto de 2002 o espanhol Luís Mariscal conquistou um lugar na história das festas de Barrancos ao tornar se o primeiro toureiro a matar um touro legalmente na vila Ser o primeiro toureiro a na legalidade poder matar touros nesta vila é uma grande honra e um privilégio porque esta é uma praça com particularidades únicas disse à Lusa Luís Mariscal naquele dia no final da primeira corrida com touros de morte legalizada em Barrancos Lembrando o ditado popular segundo o qual o fruto proibido é o mais apetecido António Tereno conclui que após a legalização dos touros de morte em Barrancos as festas que decorrem nos últimos quatro dias de agosto perderam os milhares de visitantes atraídos pela polémica mas recuperaram o espírito familiar mais apreciado pela população Próximo Rio Maior Munícipios Alcobaça Requalificação da zona do Mosteiro continua polémica em Alcobaça dez anos depois Arouca Geologia o motor da evolução económica de Arouca Aveiro Eclusas viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos Barrancos Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos Barreiro Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas Braga Boom da construção em Braga retrata crescimento da Universidade Castanheira de Pêra Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera Castelo Branco Centro de Cultura Contemporânea o ícone de Castelo Branco Castelo de Paiva Tragédia de Entre os Rios chocou o país mas luto perdura em Castelo de Paiva Coimbra Património Mundial deu a Coimbra reconhecimento que nunca tinha tido Corvo Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio Covilhã

    Original URL path: http://dev.30anoslusa.pt/legalizacao-de-touros-de-morte-finda-polemica-e-marca-historia-de-barrancos/ (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas - 30 Anos Lusa
    de requalificação das antigas áreas industriais da antiga CUF Barreiro Siderurgia Seixal e Margueira Almada bem como da recuperação ambiental um processo que tem estado a decorrer e que é para continuar O antigo complexo industrial já abriu os seus portões para a cidade com a inauguração de uma ligação rodoviária entre o centro do Barreiro e a freguesia do Lavradio pelo interior do parque tendo também decorrido obras em acessos e infraestruturas estando outras prontas a avançar Temos 196 empresas aqui instaladas o que é importante apesar de algumas áreas ainda estarem desaproveitadas Efetuámos vários trabalhos de requalificação e este ano vamos avançar com a abertura definitiva do parque numa intervenção que vai ter uma componente ambiental forte com 5 000 metros quadrados de áreas verdes num espaço que estava fechado ao público explica Sérgio Saraiva Carlos Humberto diz que os cerca de 240 hectares do atual Parque Empresarial da Baía do Tejo que correspondem a 10 por cento do território do município do Barreiro continuam a ser decisivos para o concelho Temos de preservar algum do património existente e reaproveitar o espaço para atividade económica atividade portuária e criação de emprego O terminal pode ser um investimento âncora que torne mais rápido o desenvolvimento que preconizamos e estamos a trabalhar nesse sentido frisa Sérgio Saraiva também concorda que o novo terminal de contentores que está a ser estudado para o Barreiro no território da Baía do Tejo seria um investimento importante Equipamentos de nível nacional como este caso da reconfiguração da atividade portuária seriam uma importante alavanca para tornar o território a referência que já foi no passado conclui Próximo Rio Maior Munícipios Alcobaça Requalificação da zona do Mosteiro continua polémica em Alcobaça dez anos depois Arouca Geologia o motor da evolução económica de Arouca Aveiro Eclusas viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos Barrancos Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos Barreiro Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas Braga Boom da construção em Braga retrata crescimento da Universidade Castanheira de Pêra Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera Castelo Branco Centro de Cultura Contemporânea o ícone de Castelo Branco Castelo de Paiva Tragédia de Entre os Rios chocou o país mas luto perdura em Castelo de Paiva Coimbra Património Mundial deu a Coimbra reconhecimento que nunca tinha tido Corvo Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio Covilhã Universidade contribui há 30 anos para desenvolver a Covilhã e a região Figueira da Foz Santana Lopes recolocou a Figueira da Foz no mapa Golegã Veiga Maltez o médico que curou o concelho doente da Golegã Guimarães Recuperação do Centro Histórico marcou últimos 30 anos de Guimarães Lisboa A partir de Lisboa Portugal disse ao mundo que era capaz com a Expo98 Lousã Reabertura do Ramal da Lousã exigida nos 20 anos da Metro Mondego Mação Fustigado pelos fogos Mação cria soluções premiadas no estrangeiro Machico Machico onde o

    Original URL path: http://dev.30anoslusa.pt/fim-da-cuf-marca-vida-do-barreiro-nas-ultimas-decadas/ (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • “Boom” da construção em Braga retrata crescimento da Universidade - 30 Anos Lusa
    municipalização dos solos para desbloquear os entraves a quem quisesse construir uma vez que recordou uma das queixas mais apontadas era a inexistência de terrenos disponíveis para a construção Desta forma conseguiu se criar em Braga um mercado habitacional muito atrativo e com preços muito mais baixos do que no resto do país Mas não se pode falar do crescimento urbanístico sem referir o crescimento da Universidade do Minho São indissociáveis conclui Também para o reitor da Universidade do Minho António Cunha a história dos últimos 30 anos de Braga cruza se com a da academia A Universidade conta já com 41 anos com um crescimento muito marcado nos anos 80 e 90 havendo também uma grande migração das aldeias para a cidade de pessoas atraídas pela universidade assim como de milhares de estudantes Era impossível este afluxo de gente não ter impacto económico em Braga nomeadamente no setor da construção aponta No entanto embora não seja possível dissociar o crescimento da academia minhota do boom do setor da construção houve um momento em que ambos se separaram Nos últimos anos assistimos a um decréscimo na construção muito devido à crise que atingiu o país e a Europa O setor regrediu tal como a economia regrediu salienta António Marques Já a Universidade continua em expansão Atualmente a universidade envolve cerca de 22 mil pessoas Crescemos nos últimos anos e continuamos a perseguir esse objetivo de expansão realça António Cunha Próximo Rio Maior Munícipios Alcobaça Requalificação da zona do Mosteiro continua polémica em Alcobaça dez anos depois Arouca Geologia o motor da evolução económica de Arouca Aveiro Eclusas viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos Barrancos Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos Barreiro Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas Braga Boom da construção em Braga retrata crescimento da Universidade Castanheira de Pêra Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera Castelo Branco Centro de Cultura Contemporânea o ícone de Castelo Branco Castelo de Paiva Tragédia de Entre os Rios chocou o país mas luto perdura em Castelo de Paiva Coimbra Património Mundial deu a Coimbra reconhecimento que nunca tinha tido Corvo Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio Covilhã Universidade contribui há 30 anos para desenvolver a Covilhã e a região Figueira da Foz Santana Lopes recolocou a Figueira da Foz no mapa Golegã Veiga Maltez o médico que curou o concelho doente da Golegã Guimarães Recuperação do Centro Histórico marcou últimos 30 anos de Guimarães Lisboa A partir de Lisboa Portugal disse ao mundo que era capaz com a Expo98 Lousã Reabertura do Ramal da Lousã exigida nos 20 anos da Metro Mondego Mação Fustigado pelos fogos Mação cria soluções premiadas no estrangeiro Machico Machico onde o católico Jardim teve num padre a maior oposição Moura Central Solar de Amareleja trouxe empresas emprego e dinheiro a autarquias Nelas Canas quase se separou de Nelas e agora trabalha para se

    Original URL path: http://dev.30anoslusa.pt/boom-da-construcao-em-braga-retrata-crescimento-da-universidade/ (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera - 30 Anos Lusa
    não é só Castanheira de Pera que beneficia com a Praia das Rocas mas também concelhos vizinhos afirma Somos banhados por uma multidão que vem de diferentes partes do país mais a norte do que a sul e isso tem um impacto muito grande para um concelho pequeno observa José Pais administrador da Prazilândia empresa municipal que gere o complexo Sem a Praia das Rocas Castanheira seria mais pobre e o caminho em torno da potencialização do turismo seria mais lento aponta o administrador realçando que o complexo ajudou a criar um ritmo e uma visibilidade maior quer para o município quer para os concelhos vizinhos Quem vem à Praia das Rocas frequenta também as praias fluviais e as aldeias de xisto à volta salienta afirmando que o grande desafio do futuro passa por criar produtos para turismo de época baixa para deixar de ser um fenómeno dos meses de verão Para José Pais há muito caminho a percorrer para tornar Castanheira numa vila mais turística com mais produtos e mais complementaridade de serviços mas dez anos não é suficiente No entanto a Praia das Rocas ajudou a afinar e a definir melhor a identidade do concelho e tudo se mexe mais rápido e melhor desde que esta surgiu há dez anos Próximo Rio Maior Munícipios Alcobaça Requalificação da zona do Mosteiro continua polémica em Alcobaça dez anos depois Arouca Geologia o motor da evolução económica de Arouca Aveiro Eclusas viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos Barrancos Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos Barreiro Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas Braga Boom da construção em Braga retrata crescimento da Universidade Castanheira de Pêra Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera Castelo Branco Centro de Cultura Contemporânea o ícone de Castelo Branco Castelo de Paiva Tragédia de Entre os Rios chocou o país mas luto perdura em Castelo de Paiva Coimbra Património Mundial deu a Coimbra reconhecimento que nunca tinha tido Corvo Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio Covilhã Universidade contribui há 30 anos para desenvolver a Covilhã e a região Figueira da Foz Santana Lopes recolocou a Figueira da Foz no mapa Golegã Veiga Maltez o médico que curou o concelho doente da Golegã Guimarães Recuperação do Centro Histórico marcou últimos 30 anos de Guimarães Lisboa A partir de Lisboa Portugal disse ao mundo que era capaz com a Expo98 Lousã Reabertura do Ramal da Lousã exigida nos 20 anos da Metro Mondego Mação Fustigado pelos fogos Mação cria soluções premiadas no estrangeiro Machico Machico onde o católico Jardim teve num padre a maior oposição Moura Central Solar de Amareleja trouxe empresas emprego e dinheiro a autarquias Nelas Canas quase se separou de Nelas e agora trabalha para se desenvolver Pinhel Fecho da fábrica de calçado agravou efeitos da interioridade em Pinhel Ponta Delgada Portas do Mar obra de luxo que transformou Ponta Delgada Porto Porto

    Original URL path: http://dev.30anoslusa.pt/praia-com-ondas-a-80-quilometros-do-mar-mudou-vida-de-castanheira-de-pera/ (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Centro de Cultura Contemporânea, o ícone de Castelo Branco - 30 Anos Lusa
    para a cultura e como um projeto de excelência foram conseguidos Não há na região nenhum complexo desta categoria sublinha O ex autarca adianta ainda que o Centro é a grande marca cultural que faz toda a diferença na região que se impôs em termos turísticos não só pelos seus conteúdos mas também a nível arquitetónico Hoje ao falar se de Castelo Branco fala se do Centro de Cultura Contemporânea concluiu Por seu turno o atual presidente da Câmara de Castelo Branco Luís Correia realça o papel de relevo da infraestrutura ao nível da arte contemporânea e da própria estratégia cultural do município Hoje o Centro de Cultura Contemporânea é um ícone em termos arquitetónicos que marca Castelo Branco de uma forma muito forte sublinha O autarca realça ainda o papel importantíssimo que o centro desempenha na modernidade da cidade e da região e adianta que sem este projeto era impossível Castelo Branco impor se em termos culturais Próximo Rio Maior Munícipios Alcobaça Requalificação da zona do Mosteiro continua polémica em Alcobaça dez anos depois Arouca Geologia o motor da evolução económica de Arouca Aveiro Eclusas viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos Barrancos Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos Barreiro Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas Braga Boom da construção em Braga retrata crescimento da Universidade Castanheira de Pêra Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera Castelo Branco Centro de Cultura Contemporânea o ícone de Castelo Branco Castelo de Paiva Tragédia de Entre os Rios chocou o país mas luto perdura em Castelo de Paiva Coimbra Património Mundial deu a Coimbra reconhecimento que nunca tinha tido Corvo Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio Covilhã Universidade contribui há 30 anos para desenvolver a Covilhã e a região Figueira da Foz Santana Lopes recolocou a Figueira da Foz no mapa Golegã Veiga Maltez o médico que curou o concelho doente da Golegã Guimarães Recuperação do Centro Histórico marcou últimos 30 anos de Guimarães Lisboa A partir de Lisboa Portugal disse ao mundo que era capaz com a Expo98 Lousã Reabertura do Ramal da Lousã exigida nos 20 anos da Metro Mondego Mação Fustigado pelos fogos Mação cria soluções premiadas no estrangeiro Machico Machico onde o católico Jardim teve num padre a maior oposição Moura Central Solar de Amareleja trouxe empresas emprego e dinheiro a autarquias Nelas Canas quase se separou de Nelas e agora trabalha para se desenvolver Pinhel Fecho da fábrica de calçado agravou efeitos da interioridade em Pinhel Ponta Delgada Portas do Mar obra de luxo que transformou Ponta Delgada Porto Porto a afirmação cosmopolita com o impulso de Fernando Gomes Povoação Tragédia da Ribeira Quente em 1997 marca a história da Povoação Santana Santana a primeira cidade portuguesa do século XXI que queria ser vila Santarém Chamusca encontrou no lixo resposta para a desertificação Santo Tirso Santo Tirso procura 18 anos depois sarar ferida que

    Original URL path: http://dev.30anoslusa.pt/centro-de-cultura-contemporanea-o-icone-de-castelo-branco/ (2016-04-25)
    Open archived version from archive

  • Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio - 30 Anos Lusa
    caixa multibanco com recurso a um cartão do filho Ele não tinha cartão e pediu me um mas eu também não tinha Inseriu então o cartão do filho e virando se para os jornalistas disse nós temos que saber como é que estão as contas dos nossos filhos recorda Manuel Rita O antigo presidente do município lembra que pouco depois de ter sido inaugurada a caixa ATM havia muito movimento de pessoas na ilha que foram as principais impulsionadoras do seu uso na sequência de várias obras que estavam a decorrer como a escola local e a casa de matança para abate de animais Quando a caixa multibanco falhava e dava a indicação ao seu utilizador para se dirigir à máquina mais próxima como em qualquer outra parte do país os locais brincavam com o facto uma vez que para aceder a outra ATM teriam de se deslocar à ilha das Flores conta a rir Manuel Rita Hoje existem três caixas multibanco em Vila Nova do Corvo que para além de servirem os residentes dão bastante jeito aos turistas que chegam à ilha Próximo Rio Maior Munícipios Alcobaça Requalificação da zona do Mosteiro continua polémica em Alcobaça dez anos depois Arouca Geologia o motor da evolução económica de Arouca Aveiro Eclusas viadutos e Universidade mudaram Aveiro em 30 anos Barrancos Legalização de touros de morte finda polémica e marca história de Barrancos Barreiro Fim da CUF marca vida do Barreiro nas últimas décadas Braga Boom da construção em Braga retrata crescimento da Universidade Castanheira de Pêra Praia com ondas a 80 quilómetros do mar mudou vida de Castanheira de Pera Castelo Branco Centro de Cultura Contemporânea o ícone de Castelo Branco Castelo de Paiva Tragédia de Entre os Rios chocou o país mas luto perdura em Castelo de Paiva Coimbra Património Mundial deu a Coimbra reconhecimento que nunca tinha tido Corvo Multibanco chegou ao Corvo com honra de inauguração por Jorge Sampaio Covilhã Universidade contribui há 30 anos para desenvolver a Covilhã e a região Figueira da Foz Santana Lopes recolocou a Figueira da Foz no mapa Golegã Veiga Maltez o médico que curou o concelho doente da Golegã Guimarães Recuperação do Centro Histórico marcou últimos 30 anos de Guimarães Lisboa A partir de Lisboa Portugal disse ao mundo que era capaz com a Expo98 Lousã Reabertura do Ramal da Lousã exigida nos 20 anos da Metro Mondego Mação Fustigado pelos fogos Mação cria soluções premiadas no estrangeiro Machico Machico onde o católico Jardim teve num padre a maior oposição Moura Central Solar de Amareleja trouxe empresas emprego e dinheiro a autarquias Nelas Canas quase se separou de Nelas e agora trabalha para se desenvolver Pinhel Fecho da fábrica de calçado agravou efeitos da interioridade em Pinhel Ponta Delgada Portas do Mar obra de luxo que transformou Ponta Delgada Porto Porto a afirmação cosmopolita com o impulso de Fernando Gomes Povoação Tragédia da Ribeira Quente em 1997 marca a história da Povoação Santana Santana a primeira cidade portuguesa do século

    Original URL path: http://dev.30anoslusa.pt/multibanco-chegou-ao-corvo-com-honra-de-inauguracao-por-jorge-sampaio/ (2016-04-25)
    Open archived version from archive



  •