web-archive-pt.com » PT » E » EBAH.PT

Total: 484

Choose link from "Titles, links and description words view":

Or switch to "Titles and links view".
  • Mario - Perfil acadêmico | ebah.com.br
    destaque Enviar arquivo Comunidade Acadêmica Cursos Química Enfermagem Medicina mais Cursos Instituições de Ensino UFRGS UFRJ UFBA outras Instituições Perguntas e Respostas Login Cadastro Mario Roberto Lemos Guerra Filho Estuda Agronomia na UESPI Meus Arquivos produção sementes Amigos Ele não possui amigos O Ebah é uma rede social dedicada exclusivamente ao campo acadêmico e tem como principal objetivo o compartilhamento de informação e materiais entre alunos e professores Saiba mais

    Original URL path: http://www.ebah.pt/user/AAAABH-LUAL/mario-roberto-lemos-guerra-filho (2016-01-02)
    Open archived version from archive

  • Casqueamento - caprinos é ovinos tratamento dos cascos
    são muitos utilizados em ovinos e sim em suínos Marcação a ferro existem dois tipos de marcação a frio e a quente Identificação Tinta faz se a identificação a tinta a cada 12 meses Chip era mais utilizado na pele e no rumem do animal hoje já se utiliza em brincos e colares Fontes http www absantaines com br archives tag como casquear ovinos http Folha que o professor passo em sala Comentários Descrição caprinos é ovinos tratamento dos cascos Tags casco ovinos e caprinos Estatísticas 103 visitas 5 downloads comentários Arquivos Semelhantes Caprinos e Ovinos Sistema esquelético respiratório digestório reprodutor cardiovascular e nervoso dos caprinos e ovinos reprodução de ovinos e caprinos ASPECTOS GERAIS DA REPRODUÇÃO DE CAPRINOS E OVINOS julgamento de ovinos e caprinos julgamento de ovinos e caprinos Cartilha para tratadores de ovinos e caprinos TRATA DE PRATICAS DE MANEJO NO TRATAMENTO DA ESPECIES OVINAS E CAPRINAS Manejo Reprodutivo de Caprinos e Ovinos Aspectos gerais do manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Sistemas de produção de ovinos e caprinos de corte Introdução Principais raças ovinas e caprinas seleção e cruzamento para produção de carne Raças Reprodução de ovinos e caprinos Material sobre as caracteristicas inerentes à reprodução de pequenos ruminantes Melhoramento genetico de caprinos e ovinos MELHORAMENTO GENETICO DE CAPRINOS E OVINOS caprino ovinos é um material muito bom porem básico sobre a caprinovinocultura ovino e caprino apostila uma otima apostila em Livros Relacionados Medicina Diagnóstico e Tratamento Referência Rápida Quando cada segundo conta Medicina Diagnóstico e Tratamento é o guia definitivo no Upstream Inglês Instrumental Petróleo e Gás UPSTREAM Inglês instrumental Petróleo e gás é uma obra dedicada ao ensino de Inglês Baccan Química Analítica Quantitativa Elementar São apresentados conceitos básicos da química analítica clássica gravimetria e volumetria O Halliday Resnick Krane Física 4 Reconhecido pela

    Original URL path: http://www.ebah.pt/content/ABAAAg7hMAK/casqueamento (2016-01-02)
    Open archived version from archive

  • warley - Perfil acadêmico | ebah.com.br
    Enviar arquivo Comunidade Acadêmica Cursos Química Enfermagem Medicina mais Cursos Instituições de Ensino UFRGS UFRJ UFBA outras Instituições Perguntas e Respostas Login Cadastro warley gomes Meus Arquivos Casqueamento Instalações para aves produção de jenipapo secador de fluxo cruzado Amigos Ele não possui amigos O Ebah é uma rede social dedicada exclusivamente ao campo acadêmico e tem como principal objetivo o compartilhamento de informação e materiais entre alunos e professores Saiba

    Original URL path: http://www.ebah.pt/user/AAAABIJI0AE/warley-gomes (2016-01-02)
    Open archived version from archive

  • Doenças do Tomateiro - Doenças na Cultura do Tomate
    controle etc Referências Aspectos da Cultura Aspectos da Cultura Doenças transmissíveis Doenças transmissíveis Pinta preta Etiologia Sintomas Métodos de controle Murcha De Fusarium Etiologia Etiologia Métodos de controle Métodos de controle AGRIANUAL 2008 FNP Consultoria e comércio Anuário da agricultura brasileira São Paulo 2007 AGRIANUAL 2008 FNP Consultoria e comércio Anuário da agricultura brasileira São Paulo 2007 ANDRADE D E G T SOUZA L T ASSIS T C Mancha de Fusário Importante doença do tomateiro no Estado de Pernambuco Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica Recife vols 5 e 6 p 243 263 2008 2009 KUROZAWA C PAVAN M A Doenças do tomateiro In GALLI F Coord Manual fe Fitopatologia Doenças das plantas cultivadas São Paulo Editora Agronômica Ceres 1980 v 2 cap 35 p 511 552 LOPES C A SANTOS J R M dos Doenças do tomateiro Brasília Embrapa Centro Nacional de Pesquisas de Hortaliças 1994 61 p Doenças das Plantas Cultivadas Tomate Comentários Descrição Doenças na Cultura do Tomate Tags Doenças Fúngicas Doenças Tomate Fusarium Estatísticas 144 visitas 15 downloads comentários Arquivos Semelhantes Doenças Tomateiro Doenças Tomateiro Doenças do tomate em estufa Doenças do tomate em estufa gotejamento tomateiro gotejamento tomateiro Doenças das Hortaliças Doenças das Hortaliças Controle de doenças CONTROLE DE DOENÇAS Doenças do arroz maçã tomate Principais doenças do arroz da macieira e do tomateiro com fotos manual de fitopatologia volume 2 doenças das plantas volume 2 doenças de plantas cultivadas Doenças das Hortaliças Doenças das Hortaliças Controle de doenças Controle de doenças Produção de tomate TRATOS CULTURAIS E MANEJOS PARA PRODUÇÃO Livros Relacionados Patologia Bases Patológicas das Doenças Robbins e Cotran é o livro texto de maior abrangência na área de patologia O texto de Martins Damasceno Awada Pronto socorro Pronto socorro medicina de emergência aborda de forma prática as principais síndromes e Medicina

    Original URL path: http://www.ebah.pt/content/ABAAAg7WAAB/doencas-tomateiro (2016-01-02)
    Open archived version from archive

  • Carlos - Perfil acadêmico | ebah.com.br
    Cursos Química Enfermagem Medicina mais Cursos Instituições de Ensino UFRGS UFRJ UFBA outras Instituições Perguntas e Respostas Login Cadastro Carlos Baron Estuda Engenharia de Agronegócios Meus Arquivos TAE Cinamomo Gigante CARTILHA Doenças Tomateiro Doenças do Tomateiro TAE Construções Rurais Avicultura TOMATE MOLÉSTIAS Amigos Ele não possui amigos O Ebah é uma rede social dedicada exclusivamente ao campo acadêmico e tem como principal objetivo o compartilhamento de informação e materiais entre

    Original URL path: http://www.ebah.pt/user/AAAAAoT0cAG/carlos-baron (2016-01-02)
    Open archived version from archive

  • TOMATE MOLÉSTIAS - Doenças na Cultura do Tomateiro
    lesões claras e profundas Também provoca queda de flores quando o ataque ocorre por ocasião do florescimento EMBRAPA 2006 Etiologia A bactéria penetra na planta através dos estômatos hidatódios e ferimentos Após a penetração a bactéria pode multiplicar e provocar um leve amarelamento ou necrose internerval nos folíolos O patógeno pode sobreviver em retos de culturas e em outras plantas hospedeiras tais como pimentas pimentão berinjela e batateira KIMATI 1997 Métodos de controle Semear sementes de boa qualidade e tratar previamente a semente Não plantar próximo a lavouras velhas de tomate Plantar cultivares resistentes Fazer rotação de cultura Reduzir o volume de água ou melhorar a drenagem do terreno AGROFIT 2015 Controle químico Pulverizar com fungicidas cúpricos ou antibióticos Podridão Apical Sintomas Os sintomas de deficiência iniciam se quando os frutos estão ainda verdes com o aparecimento de uma área encharcada na região apical que se torna escura e deprimida à medida que o fruto cresce Etiologia A podridão apical no fruto é provocada pela deficiência de cálcio na extremidade distal do fruto O cálcio é um nutriente com pouca mobilidade na planta Métodos de controle Adubação balanceada com macro e micronutrientes Plantio em época adequada para cada cultivar e escolha da área de plantio EMBRAPA 2006 Doenças das Plantas Cultivadas Tomateiro Fungos Pinta preta Etiologia Sintomas Métodos de controle Etiologia Etiologia Métodos de controle Métodos de controle Referências EMBRAPA Hortaliças Cultivo de tomate para industrialização 1 e 2 edição versão eletrônica 2006 Último acesso em 02 10 2015 às 13 40 Disponível em http sistemasdeproducao cnptia embrapa br FontesHTML Tomate TomateIndustrial 2ed doencas htm AGROFIT Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento Ultimo acesso em 04 10 2015 as 10 16 Disponível em http agrofit agricultura gov br agrofit cons principal agrofit cons BOHN GW TUCKER CM 1940 Studies on

    Original URL path: http://www.ebah.pt/content/ABAAAg7V8AI/tomate-molestias (2016-01-02)
    Open archived version from archive

  • Doenças Tomateiro
    de cultura a cada 2 ou 3 anos realizar um bom preparo do solo com a eliminação de restos culturais anteriores evitar adubação nitrogenada em excesso 1 4 Murcha de verticílio Verticillium dahliae O sintoma inicial é a murcha suave e parcial da planta nas horas mais quentes do dia As folhas mais velhas tornam se amareladas e necrosadas nas bordas em forma de V invertido Os frutos ficam pequenos e mal formados EMBRAPA 2006 Métodos de controle O método mais eficiente e seguro de controle da murcha de Verticillium é o emprego de variedades resistentes MELO 1989 1 5 Podridão de esclerócio Sclerotium rolfsii Plantas apresentam uma podridão mole e aquosa principalmente nas folhas hastes e frutos que ficam em contato direto com o solo Algumas vezes esse micélio se desenvolve na superfície do solo próximo à planta EMBRAPA 2006 Métodos de controle Para o plantio devem ser utilizadas sementes sadias em solo bem drenado Deve se também realizar rotação de cultura por grandes períodos aração profunda para enterrar o inóculo calagem Essas medidas são tomadas visando a diminuição do nível de inóculo no local Também é recomendada a cobertura do solo com polietileno para evitar o contato dos frutos com o solo AGROFIT 2015 1 6 Podridão de esclerotínia Sclerotinia sclerotiorum A doença é identificada pela seca prematura da planta O fungo causa mela das folhas e das hastes e com o amadurecimento da planta o caule apresenta uma podridão seca Os frutos permanecem fixados à planta doente e raramente apresentam sintomas de podridão EMBRAPA 2006 1 7 Requeima Phytophthora infestans A requeima causa manchas encharcadas grandes e escuras nas folhas e nas brotações Nos frutos a podridão é dura de coloração marrom escura O ataque severo provoca grande desfolha e podridão dos frutos A moléstia é favorecida em condições de clima ameno e úmido LOPES et al 2005 Métodos de controle Recomendam se pulverizações preventivas periódicas com produtos protetores ou sistêmicos Mancozeb e chlorothalonil são exemplos de protetores Dentre os fungicidas sistêmicos são recomendados por exemplo o metalaxyl e cymoxanil LOPES et al 2005 1 8 Septoriose Septoria lycopersici Moléstia que causa manchas pequenas circulares esbranquiçadas com pontuações negras no centro da lesão nas folhas O fungo infecta inicialmente as folhas mais velhas EMBRAPA 2006 Métodos de controle Dentre muitos produtos registrados os que mais se mostram eficientes para o controle da doença são Cabrio Top pyraclostrobin metiram diluído em água na dose de 3kg ha Caramba metconazole na dose de 1 0 L ha e Constant teboconazole na dose de 1 0 L ha Os fungicidas são pulverizados seguindo uma metadologia de sete pulverizações desde o início do florescimento num intervalo de dez dias a cada aplicação Não são observados sinais de fitotoxicidade nas plantas devido ao uso desses fungicidas AGROFIT 2015 2 Moléstias causadas por bactérias na cultura do tomateiro 2 1 Cancro bacteriano Clavibacter michiganensis subsp michiganensis É pouco frequente em tomateiro rasteiro Os sintomas de infecção sistêmica são a descoloração vascular e a

    Original URL path: http://www.ebah.pt/content/ABAAAg7V4AD/doencas-tomateiro (2016-01-02)
    Open archived version from archive

  • (TAE) Cinamomo Gigante CARTILHA - Cinamomo Gigante
    dominância apical e retidão do tronco folhas de coloração verde mais escura e frutos maiores com maior número de lóculos Sua folha persiste por quase todo o inverno logo as plantas são mais sensíveis ao frio As geadas severas ocasionam danos em plantas de até quatro anos Quando em plantios homogêneos o cinamomo gigante requer espaçamentos amplos como 4 m x 3 m ou 4 m x 4 m O cinamomo gigante apresenta crescimento rápido entre 24 e 4 m³ ha ano em Missiones Argentina onde é a espécie mais plantada Nesta região ele é sensível ao fungo Laetiporus sulphureus quando em plantios mais densos No Paraguai Guayabi sua rotação é de 12 a 15 anos devendo sofrer pelo menos dois desbastes no terceiro e sexto anos removendo se em cada desbaste 50 das árvores Os povoamentos podem ser manejados por talhadia A espécie é sensível a competição por plantas invasoras O cinamomo requer desramas nos dois primeiros anos caso se deseje fustes limpos até 6 m de altura Em Missiones quando a desrama é efetuada em idades mais avançadas a madeira poder ser depreciada pelo ataque do fungo Laetiporus sulphureus em decorrência da maior dificuldade de cicatrização O cinamomo gigante produz madeira de densidade média 0 52 g cm³ empregada na fabricação de móveis de luxo serraria laminados e compensados estacas vigas esquadrias e fins energéticos O cinamomo gigante pode ser utilizado em sistemas Agroflorestais Comentários Descrição Cinamomo Gigante Tags Cinamomo Gigante Estatísticas 87 visitas 6 downloads comentários Arquivos Semelhantes Anthony Robbins Desperte o Gigante Interior Desperte o Gigante Interior algas gigantes Algas Gigantes Artigo Arvores gigantes Arvores gigantes TEOR DE UMIDADE DA MADEIRA E RENDIMENTO GRAVIMÉTRICO DO As energias alternativas estão sendo desenvolvidas com o intuito de serem as substitutas dos Cartilha de Agroecologia cartilha de Agroecologia Apostila

    Original URL path: http://www.ebah.pt/content/ABAAAg7V0AH/tae-cinamomo-gigante-cartilha (2016-01-02)
    Open archived version from archive



  •